Time

“A mentalidade faz uma equipe vencedora”, destaca Bissoli, autor de dois gols

Créditos: Fabio Wosniak/Site Oficial

Mais dois pra conta!

Da mesma forma que na goleada sobre o Londrina, o atacante Bissoli marcou duas vezes na noite deste domingo (26), diante do FC Cascavel. Com muita seriedade durante os 90 minutos, o Athletico conquistou uma boa vantagem na semifinal do Campeonato Estadual.

Sem poder celebrar os gols com a torcida, o camisa 17 comemorou a atuação em entrevista, após a partida.

“É um pouco diferente. A graça do futebol é o momento do gol, da torcida, da vibração. Mas o nosso papel é fazer os gols, buscar sempre o melhor resultado para o Athletico, independentemente se tem torcida ou não”, comentou Bissoli. “Eu tento me adaptar ao que o treinador pede. Em alguns jogos, eu preciso me movimentar mais, em outros segurar mais a defesa. A minha prioridade é aproveitar as oportunidades e ajudar a equipe”, completou.

Apesar do placar elástico, o atacante ressalta que o Furacão não vai relaxar no segundo compromisso entre os times, marcado para a próxima quarta (29), no Oeste do Estado.

“A mentalidade faz uma equipe vencedora. Temos que entrar com o mesmo pensamento de buscar a vitória, ir para cima. A gente é o Athletico e temos que buscar a vitória novamente. Vamos brigar por cada bola e buscar a vitória”, enfatizou.

Com quatro gols marcados nos últimos dois jogos, Bissoli chegou aos seis no Paranaense 2020, igualando Pedrinho e Lucas Tocantins.

“Eu não penso muito nisso [na artilharia]. Penso mesmo na atuação da equipe. Espero continuar fazendo gols e ser artilheiro, mas o principal é ser campeão”, concluiu.

Comentários

Wilson Luiz Marcante
2 semanas

Excluir
Aí que me refiro! Pensei, por um momento, que minhas críticas fossem injustas. Revendo os lances Citadini recebe uma cavadinha de M Azevedo e deixa o beiçola na cara, mas o menino vergonhosamente domina a bola com o braço antes de chutar torto. Depois Citadini com um leve toque "mata" o zagueiro e o corintiano pega limpa e de frente. Em seguida a zaga abre para a saída de bola a marcação aperta e o beiçola recebe sozinho de f rente e sem marcação. Note-se que ele fica sapateando e quase o zagueiro que estava aberto consegue chegar para cortar. Amigos, eu falei que este time da serpente é varzeano. Na volta vão preparados para tomar muita pancada. O segredo é não conduzir, apenas fazer a bola correr. Precisamos batedor de falta. Aquela batida do beiçola foi bisonha, coisa típica de várzea. Para um batedor razoável aquela falta em Citadini seria meio gol