Resumo do jogo

Pra cima, de peito aberto!

BOC 3
Copa Schneider San Juan
Amistoso
1 CAP

Veja os melhores momentos do jogo

O Jogo

Em ano de Libertadores, nada melhor que iniciar a temporada testando as forças contra gigantes argentinos. E lá foi o Athletico para os sopés da Cordilheira dos Andes, encarar nada menos que Racing e Boca Juniors.

Sim, o Rubro-Negro volta sem vitória da Argentina, mas dando para a torcida uma certeza: não tememos ninguém. Foi assim, pra cima e de peito aberto, que o time de Dorival Júnior encarou duas potências continentais.

Neste domingo (19), contra o Boca, todo o ambiente era favorável a eles: estádio lotado, torcida inflamada, como sempre. Mas quem jogava como se estivesse em casa era o Athletico. Indo sem temor ao ataque, pressionando a saída de bola e dando apenas uma arma possível ao adversário: o contra-ataque.

Foi assim que o Boca saiu na frente, em um lance em que a bola sobrou para Mauro Zárate, livre na área, fuzilar sem chances para Santos.

Sim, ainda falta ritmo de jogo ao Furacão. A temporada está apenas começando e o time ainda busca o melhor preparo físico. Mas o gol do empate rubro-negro foi uma mostra do que vem pela frente.

Começou com Zárate sofrendo um desarme de categoria de Léo Pereira, que saiu com a bola dominada e acionou Canesin. O meia avançou em meio à defesa do Boca e acertou uma assistência milimétrica para Nikão, que finalizou com um toque preciso, encobrindo o goleiro.

O golaço premiava a coragem do Furacão, que continuou empurrando o Boca para seu campo de defesa. Mas os argentinos contam com a qualidade Villa, Reynoso, Obando e Zárate, que em novo contra-ataque, acabou marcando mais um. 

O segundo tempo teve oito alterações e, desgastado fisicamente, o Athletico não conseguiu manter o ritmo. Mesmo assim, seguiu enfrentando o Boca de igual para igual, até sofrer o terceiro gol.

Não vencemos na Argentina. Mas também não tememos. Que venha 2020! 

Ficha técnica: Boca Juniors 3×1 Athletico Paranaense
Copa Schneider San Juan
Data: 19/02/2020 [domingo]
Horário: 22h
Local: Estádio del Bicentenario, em San Juan (Argentina)

Athletico Paranaense: Santos; Khellven (Zé Ivaldo, aos 33’ do 2º tempo), Thiago Heleno (Lucas Halter, aos 17’ do 2º tempo), Léo Pereira e Márcio Azevedo (Jonathan, aos 17’ do 2º tempo); Lucho González (Wellington – intervalo); Nikão (Marquinhos Gabriel – intervalo), Léo Cittadini (Rossetto – intervalo), Fernando Canesin (Matheus Anjos – intervalo) e Vitinho; Breno Lopes (Guilherme Bissoli – intervalo)
Técnico: Dorival Júnior
Gol: Nikão, aos 28’ do primeiro tempo
Cartões amarelos: Márcio Azevedo e Nikão

Boca Juniors: Diaz; Buffarini, Izquierdoz (Goltz, aos 18’ do 2º tempo), Alonso e Mas; Marcone, Fernandez (Jara, aos 13’ do 2º tempo) e Reynoso; Villa (Salvio – intervalo), Obando (Campuzano, aos 23’ do 2º tempo) e Zárate (Tevez, aos 13’ do 2º tempo)
Técnico: Migel Ángel Russo
Gols: Zárate, aos 18’ e 34’ do primeiro tempo, Reynoso, aos 42’ do segundo tempo
Cartões amarelos: Alonso e Marcone

BOC CAP
7
Finalizações
7
5
Finalizações no gol
3
2
Finalizações para fora
4
0
Finalizações bloqueadas
0
2
Escanteios
8
2
Impedimentos
0
4-1-4-1
70
Breno Lopes
28
Vitinho
55
Fernando Canesin
18
Léo Cittadini
11
Nikão
3
Lucho González
6
Márcio Azevedo
4
Léo Pereira
44
Thiago Heleno
13
Khellven
1
Santos
  • Gabriel
  • Bento
  • Jonathan
  • Wellington
  • Matheus Anjos
  • Marquinhos Gabriel
  • Bissoli
  • Matheus Rossetto
  • Erick
  • José Ivaldo
  • Lucas Halter
  • Carlos Eduardo
  • Técnico
  • Dorival Júnior

Arbitragem

Árbitro:

Mauro Vigliano

Auxiliares:

Hernán Maidana

Damian Espinosa

Quarto árbitro:

Emanuel Ejarque

Público e Renda

Total:

Não divulgado

Pagante:

Não divulgado

Renda:

Não divulgado