Time

A volta por cima do General!

Créditos: Miguel Locatelli/Site Oficial

O ano de 2019 será lembrado como um dos maiores da história do Athletico. O Rubro-Negro conquistou o Campeonato Paranaense, a Levain Cup e a Copa do Brasil.

Além das taças, foram incontáveis jogos marcantes e atuações inesquecíveis. Boca Juniors, River Plate, Grêmio, Flamengo, Internacional.. grandes equipes sofreram com a força do Furacão.

Mas 2019 também teve momentos difíceis. Thiago Heleno e Camacho ficaram afastados do futebol, após ingerirem uma substância proibida sob orientações de profissionais do Clube.

Para o camisa 44, foram praticamente cinco meses sem defender a camisa rubro-negra, de 1º de maio a 5 de outubro.

“Foi um ano difícil e um momento difícil para nós dois”, resumiu Thiago Heleno. “Em termos de conquistas, foi muito bom. Nesse período fora, procuramos o suporte da família, dos amigos e das pessoas do Clube. O Clube fez tudo para que a gente pudesse voltar o quanto antes”, contou.

Mesmo sem poder atuar, o General demonstrou toda a importância para o Athletico e evidenciou ainda mais a liderança que exerce desde 2015, quando chegou ao Rubro-Negro.

Um dos gestos mais marcantes aconteceu no dia 19 de setembro. Um dia após a conquista inédita da Copa do Brasil, o Furacão voltou de Porto Alegre e pousou em Curitiba perto das 12h. Os primeiros a deixarem a aeronave foram Thiago Heleno e Camacho, com a taça em mãos!

“Foi emocionante. Não foi nem pela taça, mas pela atitude dos jogadores, da comissão e do Athletico, de colocar aquela taça na minha mão e na do Camacho. A taça foi uma consequência de tudo o que nós procuramos o ano todo”, disse o camisa 44.

Retorno em alto nível

O primeiro jogo do Thiago Heleno depois da suspensão aconteceu no dia 5 de outubro. Vitória athleticana contra o Bahia, por 2 a 1, na Arena Fonte Nova.

Depois disso, o camisa 44 fez mais 13 partidas. Encerrou a temporada como titular, em boa fase e demonstrando a importância dentro de campo. Nem parecia que tinha ficado tanto tempo sem vestir a camisa rubro-negra.

“Não foi difícil voltar, porque nosso time estava encaixado. Com a ajuda dos meus companheiros, isso ficou mais fácil. Voltei concentrado, querendo estar em todos os jogos”, destacou.

Não saíram gols nesse período, mas uma marca importante foi sim alcançada. Contra o Santos, na penúltima rodada do Brasileirão, o camisa 44 alcançou a marca de 150 jogos pelo Furacão.

“É legal em um Clube como o Athletico, com a história que tem, marcar e cumprir metas, chegar a um certo nível de jogos. Fico feliz e espero poder completar 200, 300 jogos. E não só completar esses jogos, mas marcar história, ser campeão e ajudar o Athletico nesse projeto”, ressaltou.

TH quer mais e espera um 2020 melhor, com mais conquistas. “Espero que seja um ano melhor que esse. Nós conquistamos, mas temos que procurar algo a mais. Vimos que se a gente se concentrar, conseguimos outros objetivos e não só um durante o ano. Espero que a gente consiga fazer uma boa pré-temporada, começar com o pé direito, para fazer um 2020 cheio de alegrias e conquistas”, concluiu. 

Fotos: Miguel Locatelli e Roberto Souza/Site Oficial

Comentários

ALESSANDRO REIS DE OLIVEIRA
8 meses

Excluir
Tá mais do que na hora de atualizar a 'história' do clube aí no site. Último feito relatado é o Paranaense de 2018...